O Facebook completa 16 Anos: conheça um pouco da história por trás da rede social

Terça, 04 Fevereiro 2020

É possível conhecer melhor alguém pelo Facebook do que em dez anos de amizade .” [David Kirkpatrick]

Criado em 4 de fevereiro de 2004 por Mark Zuckerberg, um estudante universitário de Harvard, o Facebook completa hoje 16 anos de existência. A rede social trouxe uma nova forma de comunicação. Colocou as pessoas em contato umas com as outras, permitindo-lhes compartilhar experiências, interesses, problemas ou causas comuns.

Não é por acaso que o Facebook é a maior rede social do mundo. Os números mais recentes (Dezembro 2019) mostram que o Facebook tem:

  • 44 942 funcionários (quase mais 10.000 que em Dezembro de 2018)
  • 2.26 milhões de utilizadores ativos por dia, em média
  • 2.50 milhões de utilizadores ativos por mês

Com sede na Califórnia, o Facebook conta com 70 escritórios espalhados por todo o Mundo,  e ainda 15 data centers alimentados 100% por energia renovável.

Mas a rede social não começou com este, além de ser muito diferente do que é hoje.

Mark Zuckerberg criou em 2003, no seu quarto de estudante, um software chamado CourseMatch, que tinha como objetivo ajudar os estudantes de Harvard a escolher que aulas queriam frequentar com base nas pessoas que haviam se inscrito nelas. Foram muitos os estudantes que aderiram a este serviço e, segundo o próprio Zuckerberg, isso demonstrava que “podíamos nos relacionar através das coisas”.

Após este primeiro projeto, Zuckerberg criou o Facemash, onde os alunos votavam nas colegas que mais gostavam para descobrir qual era a pessoa mais sexy do campus. Este programa foi surpreendentemente bem sucedido em Harvard e os alunos não conseguiam deixar de usar, apesar de várias críticas e chamadas de atenção do Conselho Administrativo de Disciplina de Harvard.

O TheFacebook.com

Zuckerberg continuou a criar vários pequenos programas do gênero e em 11 de Janeiro de 2004 pagou 34 dólares para registar o domínio Thefacebook.com que integrava as funcionalidades do CourseMatch, Facemash e Friendster. O objetivo central desta rede era que os próprios estudantes colocassem suas informações online e não só a Universidade.

Zuckerberg explica a rede como uma maneira de ajudar as pessoas a compartilharem mais em Harvard, para que pudessem ver mais do que estava acontecendo na universidade. Após a divulgação do Thefacebook.com mais de 900 estudantes de Harvard fizeram o seu registo, sendo esse o tema principal nas cantinas e nos intervalos das aulas. "As pessoas não conseguiam parar de usar", revelou Zuckerberg.

Thefacebook, segundo indica Kirkpatrick, cativou por se apresentar como uma rede extremamente simples onde para se inscrever o utilizador criava um perfil com a sua imagem, adicionava alguma informação pessoal, podia expôr sua situação amorosa, incluir o número de telefone, contato de chat e endereço de e-mail. Os alunos podiam igualmente colocar as disciplinas que frequentavam, os livros que liam, os filmes que gostavam, as músicas preferidas, os clubes a que pertenciam, a filiação política e uma citação favorita.

No início apenas pessoas de Harvard poderiam registar-se, mas rapidamente a rede chamou à atenção dos mercados, o que ampliou a utilização a outras Universidades.

Finalmente… o Facebook!

Para desenvolver mais a rede social, Zuckerberg mudou-se com os seus colegas de trabalho para os escritórios em Palo Alto, na Califórnia. Lá, criou a empresa com o nome Facebook, em 20 de Setembro de 2005, quando já 85% dos estudantes norte-americanos eram utilizadores e 60% acessavam o site diariamente. A postagem de fotografias era uma das atividades mais realizadas na rede social. No final de 2009, o Facebook já tinha mais de 30 milhões de fotos, tornando-se o maior site de fotografias do mundo.

Em Agosto de 2006 o Facebook torna-se a plataforma que conhecemos atualmente, apesar de ter sofrido, posteriormente, algumas alterações. A rede social começou também a integrar várias empresas que, através de publicidade e marketing, promovem os seus produtos entre os utilizadores. A rede social crescia exponencialmente e esse crescimento foi contínuo, superando as demais concorrentes. Nesta época, "Facebook" tornou-se o termo mais pesquisado na Internet ultrapassando a palavra sexo.

 

Fonte: PPL Ware