Foto: Reprodução Foto: Reprodução

Mito ou verdade: ligar e desligar o PC desgasta mais do que deixar ligado?

Terça, 07 Fevereiro 2017

 

Você é daqueles que desliga o PC todos os dias ou prefere deixá-lo ligado? Seja qual for sua preferência, é provável que tenha tomado essa decisão por um mesmo motivo: porque o computador supostamente acaba ficando “desgastado” e com uma menor vida útil.

Mas será que desligar o PC todo o dia – ou deixa-lo ligado por semanas a fio – faz mesmo alguma diferença para garantir que aquela máquina top de linha dure mais alguns anos? Infelizmente, a resposta é bem mais complicada do que parece.

 

Um mito com fundamento.

Para começar, vamos deixar algo claro: essa história de que ligar e desligar o PC várias vezes pode causar problemas tem, sim, fundamento.

Isso porque, originalmente, a “cabeça” usada no leitor do HD (uma minúscula agulha que flutua logo acima do disco, graças a uma “almofada” de ar feita pelo giro da peça) descansava na própria superfície do disco rígido quando a máquina desligava. Logo, até que o disco voltasse a “empurrar” essa ponta com sua velocidade de giro, havia sim o risco de danos.

Esse não era o único problema encontrado em ligar e desligar o PC, vale notar. “Toda vez que o computador é ligado, ele tem um pequeno surto de poder enquanto tudo começa a rodar, e se você está ligando ele múltiplas vezes por dia, isso pode sim diminuir o ciclo de vida do computador”, disse Steven Leslie, agente da empresa Geek Squad, ao site Digital Trends.

 


Um problema do passado

Felizmente, boa parte disso deixou de ser um problema nos computadores mais recentes. Desde os PCs do início dos anos 2000, por exemplo, as cabeças dos discos rígidos automaticamente retraem para um ponto seguro quando o sistema é desligado; isso, aliás, quando não estamos falando de uma máquina que já usa SSDs para armazenar seus dados.

"Um PC moderno é projetado para aguentar um total de 40 mil ciclos de ligar e desligar antes de falhar".

Da mesma forma, é válido apontar que muitos dos medos de defeitos causados por esses surtos de energia ao ligar o sistema praticamente deixam de existir, visto que vários dos componentes utilizados atualmente abandonam o uso de partes mecânicas. Há controvérsias quanto aos estragos causados nesses sistemas, obviamente, mas o consenso ainda é de que o número de peças a sofrerem desgastes é muito menor.

Segundo a Energy Star, por exemplo, um PC moderno é projetado para aguentar um total de 40 mil ciclos de ligar e desligar antes de falhar. Considerando que isso equivale a 109 anos ligando e desligando sua máquina diariamente uma vez por dia, é difícil imaginar que você consiga levar seu sistema a falhar pelos 5 a 7 anos, em média, que uma pessoa mantém um computador.

 

Deixar ligado também tem seus problemas

Isso quer dizer que os nossos PCs estão completamente seguros de problemas de serem ligados ou desligados? Não é bem assim. Mesmo os melhores componentes, como baterias, os discos rígidos mais recentes ou mesmo coolers, têm um ciclo de vida limitado, e esse processo acaba sim danificando alguns componentes, por menor que seja o dano.

Manter o computador sempre ligado, no entanto, também traz seus problemas. Isso ocorre, em boa parte, porque deixar os componentes em atividade faz com que eles acumulem calor por longos períodos de tempo – o que, por sua vez, pode não apenas danificar o hardware, na falta de ventilação adequada, como também desgasta os coolers, que vão inevitavelmente permanecer ativos.

Ainda está achando complicado? Pois Steven Leslie resume a questão muito bem: “Deixar um computador ligado constantemente é menos estressante do que desligá-lo e ligá-lo várias vezes por dia – mas é um stress contínuo.”

"Deixar um computador ligado constantemente é menos estressante do que desligá-lo e ligá-lo várias vezes por dia – mas é um stress contínuo".

 

Ambos têm suas vantagens e desvantagens

Todo esse dilema, por sua vez, depende mais das suas necessidades do que avaliar o que causa mais ou menos desgaste, visto que ambas geram diferentes tipos de stress no PC. Assim, para dar uma ajudinha, trouxemos uma lista de prós e contras do que você vai ter em cada uma dessas opções.

 

Desligando o PC

Prós:

  • Com o sistema desligado, você economiza energia – principalmente em PCs de alto desempenho;
  • Manter o PC desligado durante a noite garante um descanso mais silencioso;
  • Reiniciar a máquina com frequência garante que muitos glitches e erros pequenos do dia a dia causados por softwares desapareçam.
  • Seu PC não vai correr riscos de grandes problemas por surtos ou quedas de energia.

 

Contras:

  • Você sempre vai ter que ligar a máquina e esperar alguns segundos (ou minutos) para que ela esteja pronta para uso;
  • Caso você não tire seu sistema da tomada, ele ainda vai gastar uma pequena quantidade de energia.

 

Mantendo o PC ligado

Prós:

  • Sua máquina vai estar sempre pronta para agir quando você quiser usá-la;
  • Updates, instalações e outros processos chatos? Pode deixar tudo para fazer enquanto você está dormindo;
  • Manter o sistema ligado permite a você usar sua máquina como um servidor, se assim desejar.

 

Contras:

  • Por mais econômico que seu PC seja, ele ainda vai gastar mais energia do que permanecendo desligado;
  • Com o tempo, seu computador vai apresentar alguns probleminhas de desempenho por permanecer ligado e funcionando por tanto tempo, os quais seriam facilmente resolvidos ao reiniciar a máquina;
  • Computadores são uma fonte constante de barulho enquanto estão ligados;
  • Deixar um PC ligado pode colocá-lo em risco no caso de quedas ou surtos de energia.

 

Também existem outras opções

A esse ponto, muitos podem acabar lembrando que essas não são as únicas opções que um computador oferece – nada menos, é claro, do que as opções de suspender e hibernar seu sistema.

Em resumo, ambas as opções são um meio-termo do que foi dito antes. Ao colocar o computador para “dormir”, o sistema salva parte de sua sessão atual na memória e desliga todos os outros componentes desnecessários. Assim, você não causa acúmulo de calor e não força o PC na hora de voltar a utilizá-lo; tudo isso em troca apenas de alguns segundos a mais de espera para voltar a usar o computador normalmente e de alguns watts de energia.

"As funções de ‘Suspender’ e ‘Hibernar’ são um meio-termo entre manter o PC ligado e desligá-lo com frequência".

E quanto à diferença entre os dois modos? A resposta é simples. O modo de “Suspender” é mais rápido, uma vez que ele coloca o computador em um estado de baixo consumo de energia e deixa apenas a memória RAM guardando sua sessão. Já o modo “Hibernar” guarda sua sessão no HD e desliga o PC por completo, o que quer dizer um menor consumo de energia e a possibilidade de continuar usando o computador de onde parou, mas com a desvantagem do desgaste de ligar a máquina.

 

“Afinal, deixo ligado ou não?”

Se você nos acompanhou até aqui, por fim, a resposta para a pergunta acima já deve estar clara. O fato é que não há uma escolha “certa” para isso, e, desde que você saiba cuidar bem de sua máquina, ela provavelmente vai durar um bom tempo. No fim das contas, é tudo uma questão de achar qual se encaixa melhor em suas necessidades.

"Se você usa seu computador múltiplas vezes por dia, é melhor deixá-lo ligado. Se você o usa por um período curto apenas uma vez por dia, então desligue-o".

Contudo, para dar uma ajudinha a quem ainda sofre com esse dilema, nossa dica é pensar o quão frequente é o uso da máquina. “Se você usa seu computador múltiplas vezes por dia, é melhor deixá-lo ligado. Se você o usa por um período curto – digamos uma ou duas horas – apenas uma vez por dia, ou ainda menos, então desligue-o”, explicou Leslie.

Seja qual for a escolha que considerar adequada, por favor: desligar o PC retirando-o da tomada nunca é uma boa opção.

 

 

Referência: https://www.tecmundo.com.br/mito-ou-verdade/113955-mito-verdade-ligar-desligar-pc-desgasta-deixar-ligado.htm?utm_source=tecmundo.com.br&utm_medium=home&utm_campaign=tv