Google encerra o Google+ (e ninguém sentirá falta)

Quarta, 03 Abril 2019

 Como anunciado no ano passado, o Google desligou oficialmente o Google+, sua rede social criada para competir com o Facebook.

A empresa já havia desativado a criação de novas contas na plataforma em fevereiro, mas a partir de hoje começará a excluir todo o conteúdo da mesma.

Inicialmente, o plano do Google era encerrar a rede social em agosto de 2019, mas a data foi adiantada para abril, segundo comunicado feito em janeiro: “Em 2 de abril, sua conta do Google+ e todas as páginas do Google+ que você criou serão desativadas e começaremos a excluir o conteúdo das contas do Google+ dos consumidores”, afirmou a empresa no anúncio.

Ainda segundo o Google, levará alguns meses para todo o conteúdo do Google+ ser excluído, o que significa que os usuários ainda poderão acessá-lo durante esse período. O login do Google+ não funcionará para outros serviços, mas você poderá fazê-lo usando sua conta do Google.

A decisão de acabar com o Google+ veio depois da descoberta de um bug na plataforma que expôs os dados pessoais de quase meio milhão de usuários.
Pouco depois que esse problema foi revelado, o Google descobriu outro bug de segurança, que expôs mais de 50 milhões de usuários.

Mas, apesar dos problemas de segurança serem as desculpas oficiais para o fim do Google+, a verdade é que a plataforma lançada em 2011 nunca foi um sucesso entre o público. A rede social não conseguiu ganhar grande notoriedade, pelo menos não como como o Google esperava.

O alcance maciço do Google até ajudou a criar uma base de usuários considerável para o Google+ o início do projeto, mas a maioria dos usuários simplesmente criou um perfil na rede social e não continuou a alimentar o mesmo.

Com o tempo, alguns de seus recursos integrados, como o Hangouts, foram transformados em serviços separados, e já em 2015, a rede social era considerada praticamente morta.

 

Referência: B9